Construir Resistência
Covid usp

Transmissão da covid-19 cresce novamente em São Paulo

 

 

Novo aumento na média diária de casos e internações mostra que vírus continua circulando amplamente na população

 

Por Herton Escobar – Jornal da USP

Os dados da semana epidemiológica mais recente (29 de maio a 4 de junho) revelam um novo aumento na transmissão do vírus da covid-19 no Estado de São Paulo. As médias diárias de novos casos e internações aumentaram 29% e 45%, respectivamente, em relação à semana anterior, o que indica que o vírus continua circulando amplamente na população paulista. O número de pacientes com quadros graves de covid-19 internados em UTI no Estado aumentou de 747 para 1.020 nesse período de sete dias. Já o número de internados em enfermarias (representando casos leves da doença) aumentou de 1.730 para 2.333, segundo dados do Comitê Científico, que acompanha a evolução da pandemia no Estado, e reproduzidos no Boletim Epidemiológico USP-Covid desta semana.

A média de mortes por covid-19 caiu de 39 para 29 óbitos/dia no Estado — uma redução de 26% em relação à semana anterior. Segundo especialistas, a queda pode estar relacionada à imunidade conferida pelas vacinas (que protegem principalmente contra quadros graves da doença), mas também a uma instabilidade no sistema de informações sobre a pandemia do Ministério da Saúde, que pode ter causado um atraso no registro das notificações de óbitos na semana passada.

A situação em São Paulo reflete uma tendência nacional de aumento na transmissão da covid-19, que especialistas acreditam estar relacionada à flexibilização do uso de máscaras e à retomada das atividades presenciais de uma forma geral, somadas à predominância da subvariante ômicron BA.2 do novo coronavírus, que vem mostrando capacidade de transmissão ainda maior que a subvariante BA.1, responsável pela forte onda dos primeiros meses de 2022.

A Comissão Assessora de Saúde da USP informou que tem recebido demandas de diversos dirigentes para reforçar as recomendações de defesa sanitária na universidade. Com base nas informações deste último boletim, a comissão deverá se reunir nesta sexta-feira, 10/6, para elaborar um comunicado a ser divulgado pelo reitor Carlos Gilberto Carlotti Junior, esclarecendo a situação à comunidade universitária e reforçando a necessidade de manutenção das medidas vigentes.

O uso de máscaras é obrigatório em ambientes fechados da universidade. As máscaras também seguem obrigatórias no transporte público e nos serviços de saúde, por determinação do Estado, e voltaram a ser recomendadas em ambientes fechados desde 31 de maio. Em ambientes abertos o uso não é obrigatório, mas também recomendado, sempre que houver aglomeração de pessoas.

Cerca de 94% da população paulista acima de 5 anos está com esquema vacinal completo (pelo menos duas doses ou dose única), incluindo 61% das crianças com até 11 anos. Especialistas reforçam, porém, que é preciso aumentar ainda mais essa cobertura, especialmente diante do aumento na transmissão do vírus. A vacinação infantil é essencial para a proteção de crianças e adolescentes, e a dose de reforço é fortemente recomendada para todos os adultos elegíveis.

Lembrando também que apenas pessoas vacinadas estão autorizadas a frequentar os campi da USP, e que a comprovação da dose de reforço passará a ser obrigatória para alunos, funcionários e docentes da universidade a partir do segundo semestre deste ano.

O Boletim Epidemiológico USP-Covid é publicado toda quarta-feira. Mais informações no site USP Retorno Seguro: https://retornoseguro.usp.br.

 

 

Compartilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email

Matérias Relacionadas

Rolar para cima