Construir Resistência
Cartaz criticando as Casas de Trabalho da Inglaterra (cerca de 1824, autor desconhecido - Britisch Library)

Trabalhadores chargistas unidos no 1° de maio

Da revista da Pirralha 

Cartaz criticando as Casas de Trabalho da Inglaterra (cerca de 1824, autor desconhecido – Britisch Library)

 

Praticamente todos os países do mundo celebram a data do 1º de Maio como Dia Internacional dos Trabalhadores. A origem histórica desta data foi uma greve de trabalhadores ocorrida em 1886, em Chicago, nos Estados Unidos, reivindicando jornada de 8 horas por dia, na ocasião, em uma manifestação ocorrida na Praça Haymarket, uma bomba explodiu e deu origem a um grande tumulto com mortos e feridos, tanto entre manifestantes quanto policiais. A polícia prendeu vários manifestantes e quatro deles foram acusados pelo massacre e condenados a morte, mesmo que sua culpa nunca tenha sido comprovada. estes trabalhadores são conhecidos como os “Mártires de Chicago” e em sua homenagem foi instituído o Dia do Trabalhador com o objetivo de continuar a luta pela redução da jornada de trabalho. Após sua instituição os trabalhadores passaram a se reunir anualmente nesta data para celebrar a luta por melhores condições de trabalho e salário.

Este é o primeiro acontecimento a nível global cuja origem não tem relação com a religião ou costumes milenares. Foi a obstinação dos trabalhadores unidos nos mais variados países que fez com que a data, inicialmente combatida e reprimida pelos governos, acaba-se por ser aceita e incluída no calendário oficial dos países.

Neste sentido, a própria existência da data é uma vitória internacional da classe trabalhadora, mesmo que em várias localidades seja tratada apenas como mais uma festa deixando em segundo plano a proposta inicial de denúncia das condições de trabalho. No Brasil os operários introduziram a celebração nos primeiros anos do século XX e a data foi reconhecida durante o governo de Getúlio Vargas em 1930 (decreto 19.488 de 15 de dezembro).

Como os chargistas e os cartunistas também são trabalhadores, eles celebram o 1º de Maio unidos com seus colegas de classe fazendo a crítica das condições de trabalho com a arte do Humor.

Bira

Bira

Thiago

Thiago

Guto Camargo

Guto Camargo

Alex Ponciano

Alex Ponciano

Genildo

Alexandre Paixão

Ykenga

Mário

 

Compartilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email

Matérias Relacionadas

Rolar para cima