Construir Resistência
pexels-photo-1592109

Tiros na estatal

Por Hugo Souza- do Come Ananás 

O repórter Igor Carvalho, do Brasil de Fato, descobriu que o governo Jair Bolsonaro autorizou a abertura de um clube de tiro nas instalações de nada mais, nada menos que uma uma das principais empresas brasileiras estatais de gêneros alimentícios.

Tendo como atividade a comercialização de flores, frutas, legumes, pescados e verduras, a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) licitou a sua sala 12, de 600 metros quadrados, para a Seven Shooting Academia de Tiros e Comércio de Importação Ltda, nome fantasia G16 Universidade do Tiro e Caça Premium.

A outorga se deu na gestão de um coronel da reserva da PM de São Paulo na Ceagesp. Trata-se de Ricardo Nascimento de Mello Araújo, ex-comandante da sanguinária Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar, a Rota.

Quem tem memória há de lembrar que o coronel Ricardo Araújo é aquele que defendeu abordagens diferentes por parte da polícia na periferia ou nos Jardins:

“É uma outra realidade. São pessoas diferentes que transitam por lá. A forma dele [policial] abordar tem que ser diferente”.

Quando assumiu a Ceagesp, disse o seguinte o coronel Ricardo Araújo:

“Sempre tive bom faro para caçar criminoso. A nossa cidade, a Ceagesp, com 50 mil pessoas, será limpa. E aqui é fácil, hein? Está cercado”.

Um funcionário da Ceagesp disse ao Brasil de fato que o clube do berro e do pipoco funcionou entre legumes e verduras até o fim de novembro. Com a eleição de Lula, seus proprietários fecharam a conta, após os milicos pretenderem, mas não conseguirem, passar a régua.

Matéria publicada originalmente no link abaixo do Come Ananás 

https://comeananas.news/tiros-na-estatal/

Compartilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email

Matérias Relacionadas

Rolar para cima