Construir Resistência
telegran fake news

Telegram envia fake news sobre o projeto das Fake News

Por Palas Atena
Primeiro foi o Google a indicar, na página de busca, um link com fake news sobre o PL das Fake News. Agora é o Telegram que enviou mensagens a TODOS os usuários com mentiras sobre o projeto.
Esse mesmo telegram foi condenado a pagar multa de 1 milhão diários por manter mensagens e grupos neonazi, com ameaças terroristas de ataque a escolas no Brasil. Descumpriu ordem do Ministério da Justiça e foi condenado. Mas, como é difícil cobrar isso, deu pelotas para a condenação.
Agora, assim como o Google, assume que as big techs são empresas que se consideram acima da soberania de países em desenvolvimento (não fizeram essa gracinha nos EUA nem na Europa) e comprova ser veículo disseminador de mentiras e desinformação. E não é só.
No dia 11, haverá na Câmara, “discussão” sobre a “institucionalização da censura” nas redes, organizada pela extrema-direita (eduardo bozo à frente), com presença de representantes do Facebook, Telegram, Google e Twitter. Ainda contará com a presença dos bozofascistas Ana Paula Henkel, o fugitivo allan dos santos e, pasmem, o ex-ministro do STF, o ébrio marco aurélio, e o opus dei ives gandra martins que, suspeita-se, deixou digitais jurídicas na redação da minuta do golpe, encontrada na casa de anderson torres. O que mais impressiona é a Câmara acolher um fugitivo para falar (videoconferência).
A extrema-direita está articulada, e o campo progressista não atua. A mudança de votos de partidos, como Republicanos, que havia votado a favor da urgência do projeto e, depois, anunciou que votaria contra a aprovação da lei demonstra que a extrema-direita trabalhou bem a pressão de fora para dentro. Nós, campo progressista, não nos mobilizamos e a votação foi adiada.
Segundo André Janones, a oposição quer esperar a poeira baixar para voltar a falar no PL das Fake News, pois o sentimento geral é que se o projeto for votado nos próximos dias, será reprovado. Se não houver ação, movimento em torno disso por parte do campo progressista, acho difícil aprovar. E, pelo que disse Gilmar Mendes em entrevista ao roda-morta, o STF quer que o Congresso resolva essa questão.
As ações das big techs estão demonstrando o risco que representam. Aliás, o PL é brando, deveria até ser mais rigoroso e determinar, na lei, o valor mínimo das multas e o órgão regulador para atuar em relação às big techs. Não dá para deixar que se autorregulamentem.
Nota da Redação: por se apresentar por pseudônimo e há entendimento de que o material é importante para a compreensão dos fatos, optou-se pela publicação. Mas Construir Resistência prefere que as pessoas se apresentem com seus nomes verdadeiros e não fictícios.

Compartilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email

Matérias Relacionadas

Rolar para cima