Por que não usas máscara?

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
– Porque eu não pego essa porra aí… Quem é jovem num pega. Cresci do lado de um esgoto.
– Tá, mas e os outros? Você pode passar, mesmo não apresentando sintomas.
– Tô ligado…
– Então…
– Olha, mano, senhor, tô pouco me fudendo…
– Como assim? E na sua casa? Sua mãe…
– Minha mãe morreu eu tinha 16 anos… Tá com Deus…
– E não tem mais ninguém?
– Tem… Tenho né?
– E?
– Olha, meu avô, Deus me perdoe, mas quero que se foda nessa parada aí. Sério, mano, me queimava o lombo com a cinta. Até o dia em que eu desci uma porrada nele. Aí, sossegou…
– E seu pai?
– Esse aí tá fazendo hora extra já, coitado. Pinguço do caralho, só serve pra dá trabalho.
– Mas tem outras pessoas mais idosas por perto…
– Qué sabê, parceiro? Quero mais é que esses véio vão tudo pra casa do caralho. Limpá a área, tá ligado?
– Por quê?
– Porque foram eles que deixaram o mundo assim, mano, na bagaça. Deixaram tudo zuado pra nóis.
– Mas a doença tá pegando em gente mais jovem agora…
– Cada um, cada um, eu não vô tretá com quem não quer usar essa porra aí. Se vier um gambé enchê o saco eu ponho. Tenho aqui no bolso da berma, ó!
– Mas e você?
– Aqui é Ferraz, véio, república federativa de Ferraz de Vasconcelos. Aqui é pros fortes, entendeu? Quem mora nessas quebradas aqui já é rei sobrevivente.
– Mas tá morrendo muita gente de Covid nas quebradas…
– Morreu? Descansô. Cada um precisa fazê seu corre pra comprá comida. O cara pega busão lotado todo dia e não pode fazê um rolê no sábado?
– Mas diminuiu com o isolamento…
– Mano, só de estar respirando já é um puta milagre… Já tirei uns dias, tá ligado? Chave! Como que o truta sobrevive lá no sistema, dez em dois por dois?
– Tá certo…
– Podexá que eu fico longe do senhor, seu pneu tá quase pronto.
Nota da redação – este diálogo foi travado com um jovem borracheiro, na Zona Leste de São Paulo
Walter Falceta é jornalista, dirigente da torcida Democracia Corintiana. Trabalhou como repórter da revista Veja e editor nos  jornais O Estado de São Paulo e O Globo

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *