Construir Resistência
Terroristas

O que a militância acha dos atos dos extremistas de direita

Edição: Simão Zygband 

Uma bomba no colo dos jornalões

Em 1981, quando os ditadores planejaram explodir o Riocentro, a grande imprensa teve o mesmo comportamento que tem agora. Tentou escamotear a notícia por ordem dos militares, por cumplicidade e por covardia.

Os filhos sabem que as mães acampadas na frente dos quartéis podem estar tomando mate com gente que fabrica e carrega bombas?

Moisés Mendes – Porto Alegre (RS)

Nota da redação: contraponto

Simão Zygband: imprensa tentou escamotear a notícia da bomba no Riocentro? Como assim? A imprensa, em especial o JB, fez um trabalho fundamental de reconstituição do caso para demonstrar sem qualquer dúvida que a versão oficial era falsa! Eu sou testemunha disso, mas nem precisava ser, bastava pesquisar.

Sylvia Moretzsohn – Rio de Janeiro (RJ)

Criminosos

Eles não são manifestantes. Eles são criminosos, estão usando o nome e as cores do Brasil para atear fogo na democracia.

Isso não é bloqueio. É locaute, é golpe. Golpe econômico. Com armas, ameaças, financiamento e fogo, eles estão espalhando o terror nos quatro cantos do país.

Eles não se importam com corrupção e eles sabem que não houve fraude no dia 30 de outubro, eles querem tomar o poder à força. E é por não serem democratas que eles atacam sistematicamente a imprensa.

Eles são fascistas. Fascistas são liderados por outros fascistas, por políticos de peso.

Mas nem por isso deixam de ser fascistas. Defensores da ultraviolência.

O Brasil não pode naturalizar esses ataques à segurança nacional e ao Estado Democrático de Direito.

Ataques que, como já vimos em outro vídeo (Agrogolpe), não são espontâneos. São organizados por empresários, pelo agronegócio. Por aqueles que querem se manter na ilegalidade.

Deixar esse tipo de criminoso ocupar espaços significa abdicar das conquistas que tivemos desde os anos 80.

Fazer de conta que isso não está acontecendo, ao longo da história do mundo, nunca deu muito certo.

Alceu Castilho – São Paulo (SP)

Mídia conservadora

Não dá pra crer que a mídia conservadora reduziu essa informação por algum tipo de cumplicidade com o terrorismo.

Mas, poderia ser mais precisa e informar que, na verdade, a tal bomba era o caminhão-tanque e que o explosivo escondido sob 63 mil litros de combustível era o detonador – que até foi acionado, mas falhou.

Talvez, a ‘moderação’ tenha a ver com o local onde o atentado foi tramado, livremente: no acampamento em frente ao Quartel-Geral do Exército.

Nada disso estaria ocorrendo sem que houvesse tanta condescendência de bolsonaristas e golpistas graúdos. E impunidade.

Aliás, notícias dão conta que a criatura acostumada às trevas vai se camuflar na sobra das asas de Trump, daqui a dois dias.

Ilusão. Depois de tudo de hediondo que estimulou e praticou, não haverá lugar onde não possa ser alcançado. Ele e seus cúmplices.

Pio Redondo – São Paulo (SP)

Estado de sítio

O objetivo de Bolsonaro é o “Estado de Sítio”.

É um psicopata rodeado de psicopatas que não medem consequências, e estão fazendo e farão tudo o que for preciso para desestabilizar nossa democracia… nas fuças do exército brasileiro.

A imprensa ainda se refere ao terrorista como “suspeito”, mesmo sendo réu confesso…

Há algo estranho na Terra Brasilis…

E a mulher “desconhecida” que sugeriu aos manifestantes do QG a instalação de bomba na subestação de energia em Taguatinga para provocar a falta de eletricidade e dar início ao caos que levaria à decretação do estado de sítio? Já foi localizada e presa?

Maísa Commins – Caraguatatuba (SP)

Impedimento

Bolsonaro é responsável por qualquer tragédia que venha a acontecer antes, durante ou em seguida à posse de Lula.

Por isso mesmo deveria ser impedido de deixar o país.

Ter passaporte cassado e bens bloqueados.

O covarde soltou seus cães, armados, montados em explosivos, para assistir, do colo do Trump, a tragédia brasileira.

Fábio Lau – Rio de Janeiro (RJ)

Desinfetante

Advinha quem foi chamado de terrorista pela mídia golpista?
O homem preto foi preso com um frasco de desinfetante e julgado como terrorista, o segundo foi preso com bomba e armamentos e é chamado de empresário suspeito.

Terroristas

Ana Claudia Lopes – Baden (Suíça)

 

Compartilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email

Matérias Relacionadas

Rolar para cima