Construir Resistência
Screenshot 20240525 200311 Youtube

O Lágrimas no Mar de Arnaldo Antunes e Vitor Araújo

Da Redação com Arnaldo Antunes 

Screenshot 20240525 200311 Youtube

“Um disco que tem uma vontade engasgada de chorar”. Essa é apenas uma das maneiras como Arnaldo Antunes define Lágrimas no Mar, sua parceria com Vitor Araújo. A recomendação é celebrar esse álbum e a união entre esses dois artistas saboreando cada intervenção sonora de Vitor e cada sílaba de Arnaldo.

Lágrimas no Mar foi registrado no estúdio Canto da Coruja, localizado em um sítio em Piracaia, interior de São Paulo, mesmo local onde Arnaldo Antunes gravou seus dois álbuns anteriores.

Durante as gravações, banhos de lago e cachoeira, trilhas pela mata e uma busca pela natureza emocional das canções.

Arnaldo, sempre ávido em conectar-se com artistas de diversos gêneros e gerações, enxergou em Vitor mais do que apenas um parceiro musical, mas alguém para dividir seu universo particular e suas angústias.

Vitor foi o responsável por todos os arranjos do álbum, que segue a máxima de Arnaldo de que “a originalidade vem de não redundar nas fórmulas estabelecidas”.

Das nove canções do LP, quatro são inéditas: “Enquanto passa outro verão”, “Umbigo”, “A não ser” e a balada título, “Lágrimas no mar”. O primeiro single extraído do disco foi “Fim de festa”, de Itamar Assumpção, originalmente gravada por ele e Naná Vasconcelos.

Lágrimas no Mar contém ainda releituras para “Como 2 e 2”, de Caetano Veloso, “Manhãs de love” (uma parceria de Arnaldo Antunes com Erasmo Carlos) e ainda duas regravações do repertório do próprio cantor: “Fora de si”, do disco Ninguém (1995) e “Longe”, do álbum Iê Iê Iê (2009).

Esta reedição Rocinante/Três Selos é em vinil preto 180g e inclui capa dupla, pôster, envelope com letras e texto do jornalista e escritor Bento Araujo, autor da série de livros Lindo Sonho Delirante.

Veja o vídeo no link abaixo:

Compartilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email

Matérias Relacionadas

Rolar para cima