Construir Resistência
bolsonaromisoginoBrum

O Brasil covarde criou os Bolsonaros

Por Moisés Mendes 

Bolsonaro cometeu todo tipo de crime. Todos os crimes em todas as áreas.

Mas o Brasil ainda se pergunta se ele, os filhos e os cúmplices serão mesmo um dia condenados e presos.

A família Bolsonaro humilha, debocha, afronta, desafia e pisoteia em cima do sistema de Justiça.

Os Bolsonaros, os milicianos amigos deles, os militares, os garimpeiros, os grileiros, os assassinos de índios, todos eles existem pelo acovardamento do sistema de Justiça.

Assim como todos os fascistas com poder econômico protegidos nesses quatro anos pela estrutura de governo mafiosa.

O sistema de Justiça sem brio é cúmplice de todos os crimes do bolsonarismo.

Se Alexandre de Moraes não existisse, o fascismo teria avançado ainda mais e esculhambado com as eleições.

A extrema direita está viva nas pequenas e médias cidades e aterroriza a vida de todos que considera inimigos.

Ainda é ativa por causa da covardia dos que deveriam reagir e principalmente pelo encolhimento das instituições.

Esse Brasil covarde criou os Bolsonaros e todos os que ainda impõem a violência do bolsonarismo, incluindo os escravagistas gaúchos que agiram durante anos impunemente.

O bolsonarismo é também uma doença da covardia. O ódio, o racismo, a xenofobia, a homofobia criaram Bolsonaro.

Com a ajuda decisiva do medo e do acovardamento de quem é pago para não se acovardar.

Moisés Mendes é jornalista em Porto Alegre. Foi colunista e editor especial de Zero Hora. Escreve também para os jornais Extra Classe, Jornalistas pela Democracia e Brasil 247. É autor do livro de crônicas ‘Todos querem ser Mujica’ (Editora Diadorim)

 

Compartilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email

Matérias Relacionadas

Rolar para cima