Construir Resistência
vera-magalhaes

Não se justificam os ataques a Vera Magalhães, mas…

Por Milton Pereira

Vera Magalhães foi contratada pela Folha em tempos que a mídia estava praticando reiterados ataques contra a reputação de qualquer pessoa que questionasse suas posições liberais. Luís Nassif, então, tinha um programa na TV Cultura que bruscamente foi interrompido pelo presidente da Fundação Padre Anchieta, Paulo Markun.

O motivo? Nassif, em seu blog, fazia críticas ao governador José Serra pelos abusos de campanhas publicitárias da Sabesp, no Nordeste. Serra estava deixando o governo e Markun desejava mais um mandato na Fundação Padre Anchieta e só Serra teria condições de nomeá-lo para o próximo período. Eliminado Nassif, o mandato de Markun foi renovado.

Nassif foi então procurado por Helena Chagas com uma proposta para um programa semanal e de comentários diários na TV Brasil, que foi aceita. Acontece que uma nova geração de jornalistas extremamente ambiciosos, dispostos a qualquer coisa para subir na carreira, estava sendo formada.

Vera então preparou uma reportagem na Folha “denunciando” que Nassif foi contratado, sem licitação, para um programa na TV Brasil. Com total falta de profissionalismo, a jornalista ignorou a informação de que não existia contratação por licitação pela própria emissora e continuou com a “denúncia”, que acabou por surtir efeito.

Logo, a lealdade política aos grandes meios de comunicação permitiu a Vera ser contratada para ancorar o Roda Viva, na mesma Fundação Padre Anchieta, e sem a necessidade da tal licitação tão exigida por ela no caso de Nassif. Mesmo com esse passado, não se justificam os ataques que ela está sofrendo.

Pode-se apenas dizer a ela que, depois de afirmar, no segundo turno das eleições de 2018, que a escolha entre um professor eleito o melhor prefeito da América Latina e Caribe e um defensor das milícias e da tortura era uma escolha difícil, cada ataque de Bolsonaro e seus asseclas endereçado a ela ajuda a passar a limpo sua biografia polêmica.

Fonte: texto baseado em depoimento do jornalista Luís Nassif.

MILTON PEREIRA é profissional de editoração, artista plástico e músico.

Compartilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email

Matérias Relacionadas

Rolar para cima