Construir Resistência
mirando-o-vice

Mirando o “vice”

Por Claudio Viola

Sou sincero, não nutro simpatia por Alckmin e muito menos pelo partido ao qual ele esteve ligado por anos a fio. Alckmin tem uma sólida base política em São Paulo, onde reinou por muitos anos sem ser importunado. Foram dezenas de pedidos por CPI’s contra o então governador de SP e nada foi provado contra ele.

Enquanto Alckmin esteve ao lado do “establishment” ele esteve blindado.  Agora ele foi citado em DELAÇÃO (aquele esquema em que o cara fala o que o “inquisidor” quer, sacou? Lembram da LAVA-JATO?) por suposto recebimento de 3 milhões de reais da empresa ECOVIAS.

Claro que essa acusação vai dar em nada por falta de materialidade de provas e porque DELAÇÃO não é mais o mesmo instrumento da Inquisição que era nos tempos de Sérgio MORO no comando daquela operação colocada sob suspeição pelo STF. Mas por que Alckmin virá alvo da PF de Jair Bolsonaro e da grande mídia de São Paulo e Rio de Janeiro?

Pensem! Ele é o “suposto”, mas nunca confirmado, vice na chapa de Lula. Nada disso visa Alckmin e sim o patrão da chapa. Lula se mantém entre 48% e 44% nas pesquisas para primeiro turno. Isso incomoda o “establishment” que nem começou a mastigar Lula, quem dirá engoli-lo.

Se colocarem o Papa Francisco de vice de Lula, a FOLHA, ESTADÃO e o GLOBO vão afirmar que Francisco deu um bilionário desfalque no Banco do Vaticano, tudo delatado por um tal Cardeal  Morus ou então pelo Cardeal Dallagnole. Nada acontece por acaso nessa criativa e amalucada Terra Brasilis.

Alckmin não estaria enfrentando a ECOVIAS se tivesse optado pela TERCEIRA VIA.

 

Claudio Viola é profissional de marketing e economista

 

Compartilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email

Matérias Relacionadas

Rolar para cima