Construir Resistência
Ultrage Abre

Mimadinhos ultrajantes do Rock em cartum

Da Revista da Pirralha

Roger Moreira (ao centro – foto Thiago Nogueira/focka) quer calar as críticas de Titio Marco (foto Instagram do radialista) e do chargista Gilmar (autocaricatura) por meio de ação judicial.

 

A banda Ultraje a Rigor, em particular seu vocalista Roger Moreira, tem se destacado nos últimos anos não pela qualidade de sua música mas sim pelo apoio que hipotecaram ao ex-presidente Bolsonaro, à direita brasileira fascista e pelas manifestações reacionárias.

No início do mês de junho, o grupo arranjou mais uma confusão, agora com o radialista conhecido como Titio Marco Antonio, da Kiss FM, uma rádio especializada em rock n’ roll.

Tudo começou quando o apresentador da rádio comemorou o fato da emissora em que trabalha ter cancelado um show do grupo marcado para o dia 13 de julho em comemoração ao Dia Mundial do Rock. Em sua rede social, o radialista afirmou que “graças da Deus” a rádio havia cancelado o show da “m*** ultrajante do Ultraje a Rigor” e encerrou a postagem: “Uma rádio tão importante como a nossa merece uma festa de respeito e não um grupo de fascistas falidos”. A postagem foi apagada posteriormente mas a confusão já estava estabelecida.

Os integrantes da banda protestaram, a emissora declarou que se tratava de opinião pessoal, Titio Marco acabou pedindo desculpas ao público e à emissora (mas reafirmou que sua opinião sobre o grupo não mudou). Em resposta, o guitarrista da banda, Marcos Kleine perguntou “vão demitir o cara?”, para depois escrever: “Enfia a sua notinha no c* e espera o processo. Verme” e o vocalista Roger completou “o processinho está a caminho”.

No final a pressão empresarial deve ter falado mais alto, a rádio voltou atrás e os “fascistas falidos” estão confirmados ao lado de outros grupos para o show do dia 13. Uma vez que a corda estourou do lado do trabalhador, não sabemos como ficou o clima no interior da emissora para o Titio Marco (que também é dublador e faz a voz do personagem Patrick, amigo de Bob Esponja).

Mas a história não terminou ainda, pois além de processar o Titio Marco Antonio, comprovando a postura antidemocrática da banda, eles também resolveram perseguir o cartunista Gilmar por duas charges publicada na internet sobre o episódio.

Duas charges resumem o caso

“Os integrantes da banda, Roger Moreira e Marcos Kleine, pediram a demissão do Titio Marco e aos seus seguidores que agissem contra o locutor. Sai em defesa da opinião do Titio fazendo uma charge sobre o que ele postou e acrescentei MIMADINHOS. Os caras ficaram muito furiosos e resolveram me processar. Ingressaram com um processo de 50 páginas pedindo indenização por danos morais, retirada do post, retratação, etc. Fiz outra charge denunciando isso, prontamente anexaram esta nova no processo, dobrando o pedido de indenização, grifando o MIMADINHOS. Estão vasculhando tudo que já fiz para encontrar algo que possa me incriminar, para isto anexaram outras charges sem qualquer relação com o caso e argumentarem que propago ódio, etc… etc…”

Depoimento do Chargista Gilmar para a Revista Pirralha

Para muitos cartunistas este assédio jurídico tem o claro objetivo de intimidar e impedir que a liberdade de imprensa e de opinião se manifeste através do humor gráfico, como bem sabe o cartunista Nando, que já passou por situação semelhante (VER AQUI).

O contraditório desta história é que Roger Moreira nunca fez questão de ser visto publicamente como um exemplo de candura a ponto de palavras contundentes ferirem sua sensibilidade. Aliás, ele é conhecido por suas declarações pouco civilizadas – para dizer o mínimo. Em 2021. o vocalista foi condenado a pagar R$ 100 mil e a se retratar publicamente por ofender a artista plástica Adriana Varejão. Em uma atitude intolerante e misógina, o músico adulterou uma foto da artista, desenhou um pênis sobre seu rosto, escreveu a palavra “puta” e a publicou na internet.

Outra “confusão” em que o “cidadão de bem” Roger Moreira se meteu aconteceu em 2023 quando foi alvo de inquérito por parte da Promotoria da Infância e Juventude da cidade de São Paulo que resultou em uma multa de R$ 60 mil, a assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta com o Ministério Público de São Paulo e a publicação de  postagens contra o abuso sexual infantil em suas redes sociais.

A ação foi decorrência de um comentário feito por ele em uma postagem sobre uma menina de 11 anos, vítima de estupros e grávida pela segunda vez, onde escreveu: “Agora vê se para de meter. Ou pelo menos usa camisinha, porra!”. Em vista do comportamento desabonador do líder da banda, talvez cheguemos a conclusão que o uso dos termos fascistas e mimados não estejam de todo equivocados em se tratando dos senhores do Ultraje a Rigor.

…………………..

A movimentação dos integrantes da banda para tentar silenciar o cartunista (e o radialista) acabou servindo de combustível para outras charges que foram enviadas pelos artistas para serem publicadas na Revista Pirralha em um movimento de reafirmação da liberdade de opinião e de imprensa.

Guto Camargo

 

Milton de Faria

 

 

Publicado originalmente no link abaixo da Revista da Pirralha 

https://revistapirralha.com.br/ultrajantes-mimadinhos-do-rock-em-cartuns

Compartilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email

Matérias Relacionadas

Rolar para cima