Construir Resistência
mario marmo 2

Lista nazista também intimida comércio em São Sebastião (SP)

Por Simão Zygband

Lista de estabelecimentos apontados por Marmo como “petistas”

 

O aposentado Mario Escobar Marmo, residente na cidade de São Sebastião, no litoral norte de São Paulo, é um ruidoso bolsonarista que tem uma atuação intensa nas manifestações antidemocráticas que estão acontecendo em frente aos quartéis em vários pontos do país.

Elas, por si só, já são uma excrescência, pois afrontam a Constituição brasileira, pois não aceitam os resultados das urnas que elegeram o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para conduzir os destinos do país nos próximos 4 anos.

Este tipo de atitude tem sido tolerada pelas autoridades, apesar de haver muita divisão entre elas. O Construir Resistência recebeu informações de que nos quartéis, muitos oficiais reconhecem os resultados das urnas e já solicitaram aos seus subordinados que evitem contato ou apoio aos manifestantes. São considerados legalistas e dão sinal de que o “golpe” planejado pelos bolsonaristas naufragou. Não há unanimidade entre as tropas. O Alto Comando das Forças Armadas, ciente disso, já solicitou que Bolsonaro retire manifestantes das imediações das instalações militares, que são consideradas áreas de segurança nacional.

O problema é que Mario Escobar Marmo, possivelmente juntamente com outros maus perdedores como ele, além de ser um dos manifestantes em frente à base da Marinha, em São Sebastião e que está sendo “tolerado”, ultrapassaram os limites contidas nas manifestações e cometeram um crime.

Deverão, por isso, responder na Justiça por divulgar nas redes sociais uma lista de comerciantes de São Sebastião que supostamente votaram no Lula, para que a comunidade daquela cidade deixe de comprar nos estabelecimentos por ele(s) relacionados. Fazer um boicote político-econômico é antes de tudo um desrespeito às leis.

É importante que o Mário Marmo e outros maus brasileiros como ele saibam que, ao proceder desta maneira, estão cometendo um crime. O PT e seus aliados e o próprio Lula venceram uma eleição limpa, democrática, com a maioria dos votos. A Constituição brasileira prevê que seja respeitado o resultado das urnas. Portanto, não tem sentido fazer uma lista de empresas que votaram na Frente Ampla, composta por 10 partidos, as acuando e intimidando. Mesmo que seja nas redes sociais. Ele será processado juntamente com seus amigos na forma da lei.

Um dos estabelecimentos apontados nas redes sociais por Mário Marmo é a Casa do Mel, em São Sebastião cuja proprietária, Elizabeth Aquino, respondeu também nas redes sociais a estupidez cometida pelo aposentado e seus aliados:

“A Casa do Mel está entre os comércios que deveriam ser boicotados por ter apoiado o presidente Lula do PT.
Nós, da Casa do Mel, cumprimos o nosso papel, como cidadãs, como comerciantes que exercem o seu direito de se manifestar e acima de tudo defender e promover a paz. Viva a democracia.
É preciso celebrar a democracia. É vital que a DEMOCRACIA e a participação eleitoral seja a mais ampla e diversa possível. É necessário desarmar-se do ódio e lembrar que toda vez que nos sentirmos ameaçados por uma situação ditatorial, exerceremos o nosso direito constitucional. Nós, da Casa do Mel, jamais nos omitiremos, quando a questão tratar de vida.
Lutaremos todos por uma vida verdadeira”
Na cidade de Casca, no Rio Grande do Sul, os bolsonaristas também espalharam mensagens nazistas nas redes sociais e em grupos de WhatsApp apontando os comerciantes que haviam votado no Lula e pedindo que eles colocassem adesivos com a estrela vermelha do PT na frente de seus estabelecimentos. A prática é parecida com o nazismo alemão, que obrigou comerciantes judeus a colocar a estrela de Davi em suas instalações.
Esta intimidação através das redes sociais ocorridas em São Sebastião também pode ser qualificada como uma prática nazista, tão comum entre os bolsonaristas. O presidente derrotado é um nazista e atitudes com estas características ainda estão ocorrendo em alguns pontos do país, com bloqueio de estradas, manifestações antidemocráticas em frente aos quartéis e até com homicídios, como a chacina cometida por um jovem bolsonarista, filho de PM, em Aracruz, no Espírito Santo.
CONTRIBUA COM O CONSTRUIR RESISTÊNCIA 

Amigxs. Aos trancos e barrancos, o Construir Resistência atingiu a significativa marca de 860 mil visualizações.

Esforço diario de fazer e localizar conteúdo jornalístico de interesse coletivo para aqueles que lutam pela democracia no Brasil.

Mas a luta não terminou com a eleição do LULA. Ainda teremos muito trabalho pela frente.

CONTRIBUA COM O CONSTRUIR RESISTÊNCIA.

PIX 11 997268051 em nome de Simão Zygband.

VAMOS À LUTA.

Compartilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email

Matérias Relacionadas

Rolar para cima