Construir Resistência
Janja

Janja se apresenta ao Brasil em entrevista ao Fantástico

Por Ivan Longo – revista Fórum 

Socióloga falou, entre inúmeros assuntos, sobre como conheceu o presidente eleito, as cartas que trocavam na época da prisão e os desafios de ser primeira-dama

 

A socióloga Rosângela Lula da Silva, a Janja, esposa do presidente eleito Lula (PT) e futura primeira-dama do Brasil, concedeu sua primeira entrevista a uma TV aberta, veiculada na noite deste domingo no “Fantástico”, da Globo.

Às jornalistas Maria Julia Coutinho e Poliana Abritta, Janja disse que “ainda não caiu a ficha” de que será primeira-dama e se definiu como uma pessoa “sonhadora pé no chão”. “Penso coisas importantes para o mundo e agora e estou tendo uma possibilidade de contribuir com essas mudanças”.

Janja revelou que vai tentar “ressignificar” o papel da primeira-dama. “Um compromisso meu, com certeza, é trazer luz a temas que carrego comigo em minha história: violência contra a mulher, quero atuar contra isso dialogando com sociedade. Alimentação, garantir alimentação saudável. E o racismo, que não podemos mais admitir na sociedade. E também discutir com a sociedade como transformar esse ódio que existe hoje em relações mais afetuosas”.

A esposa de Lula contou, ainda, que se apaixonou pelo presidente eleito após uma partida de futebol organizada pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) em 2019, que contava com a presença do petista e de Chico Buarque. Segundo Janja, ela foi ao evento para ver o cantor e compositor, mas depois alguém passou seu número de telefone a Lula e eles começaram a conversar. “Acho que ele que estava de olho em mim”, disse bem-humorada.

Janja falou na entrevista sobre inúmeros outros assuntos, entre eles sobre o período em que Lula esteve preso em Curitiba. Durante os 580 dias em que o petista permaneceu encarcerado, ambos trocaram centenas de cartas. “Todo dia eu preparava um lanche pra ele comer, aí os advogados levavam e trocávamos as cartas. Trocávamos esperança, esperança e muito amor. Tem cartas muito felizes e também muito tristes”, declarou, adicionando que, quando Lula ganhou a liberdade, aquele foi “um dos dias mais felizes” de sua vida.

Sobre algumas críticas que recebeu durante a campanha por participar diretamente de todas as atividades e, inclusive, fazer articulações políticas, Janja disse que não se importou. “A opinião que importava para mim era a do meu marido. Trouxe para mim esse papel de cuidar dele, preservá-lo. Até com relação à segurança, a gente sabe todas as ameaças que ele sofre”.

A futura primeira-dama diz, ainda, que houve ao longo da campanha “um pouquinho de machismo e ciúmes” de alguns com relação ao seu protagonismo. “Houve machismo porque talvez a figura do Lula por si só bastasse, agora ter uma mulher do lado dele, não que complemente, mas que some algumas coisas. Hoje, acho importante, olhar pra ele e estar me vendo. E não é porque estou do lado, é porque sou essa pessoa, sou prepositiva, não fico sentada, vou lá e faço”, atestou.

Matéria publicada originalmente no link abaixo da Revista Fórum

https://revistaforum.com.br/midia/2022/11/13/janja-se-mostra-ao-brasil-em-primeira-entrevista-ao-fantastico-fala-sobre-relao-com-lula-127328.html

Compartilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email

Matérias Relacionadas

Rolar para cima