Construir Resistência
IMG-20210503-WA0018

Futebol da Morte

Por Helvidio Mattos

Li, estarrecido, a notícia de que a Copa América de Futebol vai ser disputada no país que já, já alcançará 500 mil mortes e 17 milhões de infectados pelo coronavírus.
Não é de estranhar que a Conmebol, entidade que comanda o futebol sul-americano, tenha em suas redes sociais agradecido ao presidente fascista desse país e também ao infeliz comandante da confederação de futebol local pelos esforços feitos para trazer a competição ao solo pátrio, já que a Conmebol segue o lema de dinheiro acima de tudo e mais dinheiro acima de todos.
Esta edição da Copa América estava marcada para ser realizada conjuntamente na Colômbia e na Argentina, mas as manifestações de rua contra o governo do presidente Ivan Duque e a violenta repressão ordenada pelo próprio Duque fizeram com que a Conmebol retirasse a competição de lá. De imediato, a gananciosa entidade futebolística indicou a Argentina como sede única. A proposta foi rechaçada também de imediato. Como sabemos, nuestros hermanos passam tempos muito difíceis por causa da crise sanitária. O país seguinte a ser assediado foi o Chile, que declinou do convite.
Nesta segunda-feira (31), de manhã cedo, em um telefonema para Brasília, a CBF recebeu o sinal verde do Genocida para abrir as pernas e o país para “o torneio de seleções mais antigo do mundo que fará vibrar todo o continente” como declara no Twitter a Conmebol.
Numa informação mais recente, leio, ainda estarrecido, que o torneio terá sedes em Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo, Recife e Natal. Leio também, com um sopro de alívio, que o governador de Pernambuco “reforça que o atual cenário epidemiológico não permite a realização de evento do porte da Copa América no território pernambucano”. O deputado federal Júlio Delgado (PSB/MG) é outro indignado e pretende entrar com um mandado de segurança junto ao STF para impedir tamanho disparate.
Nos programas esportivos da televisão, jornalistas debatem o assunto. A maioria deles tem posição contrária à Copa América no Brasil, muitos são pelo simples cancelamento da competição neste ano.
Mas, como ir contra o poder do dinheiro? E quem investiu milhões para organizar, transmitir, ocupar hotéis e centros de treinamento?
Fodam-se, é a minha resposta.
Nossa saúde é que está acima de tudo.
A Copa América 2021 tem previsão de início dia 13 de junho e de final em 10 de julho. São 10 seleções divididas em 2 grupos. Ao todo serão realizadas 32 duas partidas e centenas de pessoas, contando delegações, imprensa, cartolas, patrocinadores e puxa-sacos circulando pra lá e pra cá.
No meio deles, nosso povo sofrido.
Copa América por aqui é um milhão de vezes pior do que aquele 7×1.
Só para lembrar, os nomes dos que receberam os agradecimentos da Conmebol por este tapa na cara dos brasileiros e na das autoridades sanitárias do mundo inteiro:
Jair Bolsonaro e Rogério Caboclo (CBF)

Helvidio Mattos é um jornalista paulistano que optou por viajar pelos cinco continentes e pelas entranhas do Brasil em busca de histórias humanas e contá-las para quem quisesse ouvir.
E não é que deu certo?

Compartilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email

Matérias Relacionadas

Rolar para cima