Fúria, sincronicidade e a neta do poeta

Voltei da rua bem puto (putíssimo) da vida. Eram três da tarde. Sol com vento gelado. Desabafei aqui com o gato Sócrates:

– Gente grosseira, estúpida e ignorante que abunda neste país embosteado dos pés à cabeça. Taqueoparil, véio! Sifudê!

O felino respondeu com seu proverbial:

– Niuuum seeeiii – eriçando os bigodes.

– Mano – prossegui – vontade de fazer mais porra nenhuma. Essa canalha nem merece o esforço, viu…

– Eeuuuummm seeeiii – respondeu, agora manifestando acordo.

Enquanto conversava, ainda soltando fogo pelas ventas, fui buscar fotos de Lula para um artigo futuro do Construir Resistência.

E, pimba! Encontrei nos arquivos uma imagem daquela linda cerimônia de 2010, no Palácio do Itamaraty, em Brasília.

Era uma homenagem ao Vinícius de Moraes, que ganhava promoção póstuma ao cargo de ministro de primeira classe, ou seja, embaixador.

Como você sabe, o poeta foi aposentado compulsoriamente quando da promulgação do AI-5, em 1968. Alegaram que sua boemia não era condizente com a carreira pública.

Na reabilitação, Lula disse que Vinícius era um ser superior. E Celso Amorim arrematou, afirmando que a força do humanismo é maior do que a força das armas.

Na foto que eu analisava, Lula aparecia com Georgiana de Moraes, filha do poeta; com Mariana, neta; e com Maria Luiza, bisneta.

De repente, olha o compa Carl Jung aí entrando em cena, com sua espetacular “sincronicidade”. Do rádio, sem mais nem menos, a Alpha FM ergueu justamente a voz melíflua, diáfana e inspiradora de Mariana de Moraes! Pode isso, Arnaldo?!

Pois, não é coincidência. É outra coisa. É sincronicidade a serviço do bem. Foi só então que baixou minha adrenalina tóxica.

Mariana cantava “Cada Dia é Tudo Novo pra Mim”, pérola de 2021, fruto dessa parceria bacanuda com Hilton Raw e Ronaldo Bastos. Tem aquela vibe deliciosa do querido Rio de Janeiro dos anos 1980, a leveza de Marina, a cor dos amores descomplicados.

“E os dias à beira-mar
São doces momentos
Eu não tenho pressa
Ser feliz é mais que tudo pra mim
Minha batucada
Foi com ela que aprendi a dançar
E quem tem um amor assim
Precisa de nada não
Tem tudo o que quer”

Enfim, foi assim que me salvei, mais uma vez. Obrigado, DJ da Matrix. Fico te devendo uma. Grazie tante!

* O link da canção vai aqui abaixo:

https://www.youtube.com/watch?v=af2CK2to444

Veja também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.