Construir Resistência
lulafhc

FHC se encontra com Lula e Bolsonaro sente o golpe

Por Simão Zygband

Foto: Ricardo Stuckert

 

Evidente que encontros desta natureza enfrentam resistências nos partidos de ambos os lados, mas aparentemente a tragédia que é a gestão de Bolsonaro é capaz de sedimentar a unidade inclusive entre antigos desafetos 

Os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se encontraram em almoço para discutir questões políticas, sobretudo as ameaças à democracia e o descaso do governo de Jair Bolsonaro no enfrentamento da pandemia. A verdade é que ninguém aguenta mais tanta barbaridade realizada pelo suposto desgoverno do capitão reformado.
Evidente que encontros desta natureza enfrentam resistências nos partidos de ambos os lados, mas aparentemente a tragédia que é a gestão de Bolsonaro é capaz de sedimentar a unidade inclusive entre antigos desafetos políticos. Como não poderia deixar de ser, o elemento que desgoverna o país sentiu o golpe e vociferou estultices contumazes. Para piorar o humor do genocida, Pesquisa Vox Populi divulgada nesta sexta-feira mostra que, se as eleições fossem hoje, Lula venceria no primeiro turno, pois supera a soma de votos dos demais candidatos.
“FHC é um “cara de pau”, afirmou o elemento que desgoverna o país sobre o fato do ex-presidente tucano dizer que vai votar em Lula. “Dá vontade de soltar um dinheirinho ao MST para eles invadirem de novo a fazenda do FHC”.
O encontro dos ex-presidentes marca uma posição de setores do PSDB que já admitem votar em Lula em 2022 para evitar a tragédia que seria a reeleição do elemento que hoje desgoverna o país. Também marca uma posição pessoal do ex-presidente petista, que sempre teve esta característica conciliadora (mas que tem grande influência dentro do PT). Como se diz na política, apoio sempre é bem-vindo.
Além de líder nas pesquisas, Lula consegue um apoio importante de liderança política que ainda tem poder dentro de seu partido, o PSDB, antigo aliado dos golpistas que derrubaram a presidenta Dilma Rousseff e fizeram coro com a trama do juiz Sérgio Moro, que lhe valeu 580 dias de prisão. Desta forma, Bolsonaro caminha para o isolamento e encontrará dificuldades com a sua reeleição.
Isso demonstra que o pais não aguenta mais Bolsonaro, um elemento desprezível que somente tem apoio de pessoas iguais a ele. Um monstro genocida, responsável por grande parte das mais de 440 mil mortes de brasileiros pela Covid.

Nos últimos dias, em entrevistas, Fernando Henrique afirmou que votaria em Lula em um segundo turno contra Bolsonaro. O petista, por sua vez, agradeceu, disse que gostou da entrevista do tucano e que eles “sempre tiveram uma disputa civilizada”. Lula ainda disse que também votaria em FHC contra Bolsonaro.

#forabolsonarogenocida

Compartilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email

Matérias Relacionadas

Rolar para cima