Construir Resistência

Efetivo integral para garantir segurança na posse de Lula

Por Tainá Andrade do Correio Brasiliense 

Governador do Distrito Federal Ibaneis Rocha com equipe do presidente Lula (foto Renato Alves – agência Brasília)

 

Ibaneis Rocha com o ministro indicado Flávio Dino (foto de Marcelo Ferreira)

 

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB-DF), confirmou a mobilização integral dos efetivos das forças de segurança da capital para atuar no dia da posse. A informação foi anunciada durante uma coletiva de imprensa na manhã desta terça-feira (27/12). A decisão foi tomada durante reunião no Palácio do Buriti, nesta terça, em razão do atentado terrorista que foi interceptado no último sábado (24/12).

Estavam presentes os futuros ministros da Defesa, José Múcio, da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, e com o novo Diretor-Geral da Polícia Federal, André Passos.

Dino, Ibaneis e José Múcio

“Nós temos a preparação do policiamento ostensivo para o dia da posse. Obtivemos esse compromisso no sentido de que haverá mobilização integral, 100% do efetivo da Polícia Militar, da Polícia Civil e do Corpo de Bombeiros para garantir segurança ao presidente e delegações estrangeiras como para as pessoas”, declarou Flávio Dino em coletiva.

Ibaneis garantiu que o governo não terá conivência com atentados terroristas sobretudo para o dia da posse. “Temos um grande sistema de inteligência, voltado para os grandes eventos. Para todos aqueles que tiverem pensando em algo parecido [com sábado] pode ter certeza que será repreendido”, assegurou.

Acampamento

Sobre a desmobilização dos acampamentos bolsonaristas na frente do Quartel General (QG), em Brasília, o ministro José Múcio afirmou que a desocupação tem sido feita de forma voluntária e a cada dia está diminuindo. “Os movimentos têm sido pacíficos. No monitoramento se confirma isso”, explicou.

“A desmobilização dos acampamentos quanto mais se der de modo pactuado, melhor. Essa foi uma opção do presidente nesse momento, é claro que se não houver com essa providência, outras serão tomadas” explicou Dino.

Por mais que o empresário preso tenha vindo do Pará para Brasília por causa do acampamento, por enquanto as autoridades envolvidas na coordenação da segurança para a posse estão tratando a ação terrorista do final de semana como um “ato isolado” de um manifestante.

O grupo disse que tem havido reavaliações constantes em relação à segurança para o evento da posse. Até quinta-feira (29/12) outra reunião acontecerá para uma nova análise da segurança, principalmente em relação à desocupação do acampamento.

 

Compartilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email

Matérias Relacionadas

Rolar para cima