É preciso saber mais sobre Cuba

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

Por Amanda Moreira

Antes de falar bem ou mal de #Cuba é preciso fazer um esforço para conhecer um pouco mais sobre o país. Isso pode ocorrer não somente com uma viagem até lá, mas por meio de livros, filmes, vídeos, matérias jornalísticas e acompanhando cubanos nas redes sociais.

Ao analisar Cuba o mais importante é não deixar que a visão seja impregnada de anacronismo, que nos faça analisar um fato histórico com o olhar dos dias de hoje ou a partir da vivência que nós temos. Se livrar disso é fundamental para as análises sobre aquela ilha, que é diferente de tudo que nós, brasileiros, já vimos e sentimos nesta vida, desde o sistema político até os costumes.

É difícil, mas temos que aprender a não julgar experiências particulares a partir de paradigmas externos a elas, ou seja, a partir das estruturas de uma sociedade estritamente capitalista. Quem consegue ver Cuba sem as lentes do neoliberalismo individualista certamente descobrirá uma sociedade mais democrática, autoconsciente, culta e mais humana; uma espécie de reserva social de valores humanos que o resto do mundo insiste em destruir.

Apesar de todos os problemas da ilha e da falta de itens básicos, devido ao bloqueio imposto há seis décadas pelos EUA, os cubanos não são miseráveis, para aflição dos reaças de plantão. É bem desonesto apontar os problemas da ilha vivendo num país como o Brasil em que cada vez mais pessoas estão vivendo em situação de rua, morrendo de fome, e fazendo fila na porta de açougue para receber uma doação de ossos.

Certamente há muitos problemas em Cuba, agravados com a situação da pandemia, mas os avanços e as conquistas da revolução ainda conseguem se manter de muitas maneiras. Em proporção e magnitude, os problemas do Brasil na saúde, da educação e na assistência, são infinitamente maiores que os deles.

Então, seja com um livro, um filme, com artigos, matérias ou acompanhando as mídias sociais, “Vá pra Cuba!”. Quem sabe conhecendo mais sobre o país todos aprendam a respeitá-lo mais, sem julgamento de valores baseados no consumismo, na alta competição e assim deixem os cubanos viverem em paz.

Indico a leitura deste livro para quem quiser dar o primeiro passo:

Foto: reprodução

Serviço:

Cuba no século XXI: dilemas da revolução
Organização: Fabio Luis Barbosa dos Santos, Joana Salém Vasconcelos & Fabiana Dessotti
Fotos: Matheus Paschoal & Ellen Elsie
Prefácio: Frei Betto
Capa: Ana Carolina Soman
Projeto gráfico: Bianca Oliveira
Editora Elefante
ISBN: 978-85-93115-06-6
Páginas: 256
Publicação: Outubro de 2017
Dimensões: 13,7 x 21 cm

Amanda Moreira é doutora em educação pela UFRJ e professora da UERJ.

Veja também

A teimosia que mata burros

Por Tião Nicomedes Na Conferência da #ONU – Organização das Nações Unidas, a delegação  brasileira… A comitiva presidencial tem e teve uma

Um país dividido

Por Miriam waidenfeld Chaves Jussara cresceu com os olhos grudados na televisão. Cantava e dançava sem parar na frente da telinha para

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *