Construir Resistência
cdhu

Da Quadra 36 aos CDHUs e condomínios da vida

Por Tião Nicomedes

 

São José do Campo das Dúvidas…

Que direção a gente deve seguir?

Qual rumo tomar?

Nessa #pandemia?

Se ficamos em casa hoje

Não é por escolha.

Não ter mais para o transporte.

Luz a cortar. Água a cortar. Aluguéis acumulados.

Descolamos uma cesta básica, e o gás tá por um fio…

É o fim da picada da #coronavac.

Mary, a exemplo de muitas mulheres provedoras de família. Diarista. Vai preparando os filhos para o pior. Contudo, mantendo a esperança.

Resta pouca.

Encaixotando as coisas: roupas, calçados, utensílios.

A qualquer momento, de uma hora ‘prá’ outra, vão bater na porta, mandando ir embora.

Ela e os dois, já rapazes.

Não vê a hora que se tornem adultos.

Consigam tocar a própria vida.

Que tenham melhor sorte.

‘Tamo’ nesse mundo só ‘prá’ sofrer…

Há de vir um tempo novo, em que a vida vai mudar.

Só não querem ir parar na rua!

O retrato de um Brasil que ninguém vê.

Ficam lá discutindo Auxilio Emergencial, não ao Auxílio Emergencial.

E o governador mandando fechar tudo. E o presidente chamando de vagabundos.

Se expor? Não se expor ao vírus?

Faz diferença ‘prá’ quem tá vendo o mundo acabar? Sem poder fazer nada?

Ah, não é o fim do mundo?

E a morte por acaso é solução?

Liga a televisão: internações, gente na fila da intubação, mortes…

Desliga a televisão a internet segue: fakenews, carreatas.

É fora Lula, é fora Doria, é fora Bolsonaro, é fora Ciro…

É fora,

É foda.

É só protesto, gritaria, buzinaço, xingamentos,

é policia, é religião, é politica.

Socorro!

A gente não tem mais voz.

e

na nossa vez,

acabou tudo.

Essa imprensa desvairada,

mancomunada com o caos.

Tudo o que os políticos querem, publicam.

Armam quedas, tecem golpes.

Noticia ruim vende mais.

Socorro!

A gente precisa de teto, trabalho, pão e terra.

Por que só nos oferecem a calçada? É só isso que tem na Constituição?

Condenados a viver debaixo da ponte? É isso mesmo?

Estamos morrendo, vocês não percebem?

Rico também vai morrer, do mais miserável ao milionário.

Esse #coronavírus na garupa do cavaleiro do apocalipse.

Quão terrível é! E devemos ficar estagnados escutando essa gente?

Cadê o seguro moradia? Um seguro social, por que será que não existe?

Cadê o seguro alimentação? Social, por que não tem?

Cadê o seguro renda de sobrevivência? Não tem. Também não existe.

Vacinas? Máscaras? É ‘pra’ usar ou não? É pra tomar ou não?

Até nisso estamos desorientados, governados por guias que não enxergam.

Brasil vai caindo no precipício.

Assim, ouvindo o lamento de uma mãe falando sozinha, resisto a não morrer afogado no mar da angústia e do medo.

A força dela,

que ela nem sabe que tem.

Ecoa.

 

Tião Nicomedes

Sebastião Nicomedes de Oliveira “poeta das ruas”. Autor da peça teatral Diário de um Carroceiro e do livro As Marvadas é artista popular. Ex-catador e ex-morador em situação de rua, integra o MIPR (Movimento Internacional de População em Situação de Rua).
crédito da foto: Tião Nicomedes

Compartilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email

Matérias Relacionadas

Rolar para cima