Construir Resistência
Cinegrafista coação

Cinegrafista do caso Tarcisio teme pela vida de sua família

cinegrafista Marcos Andrade pediu nesta quinta-feira (27) a  rescisão de seu contrato com a Jovem Pan. Andrade foi o responsável por captar as imagens do tiroteio em Paraisópolis, favela de São Paulo, no último dia 17 que provam a farsa montada por Tarcísio de Freitas (Republicanos), candidato a governador do estado, para se vender como vítima de um atentado enquanto fazia campanha na região.

Ele foi pressionado pela campanha do candidato a apagar as provas e relatou à Folha de S. Paulo que a equipe de Tarcísio estaria pedindo à Jovem Pan sua demissão.

Na entrevista, Andrade afirmou temer retaliações contra sua família. “Eu também estou assustado, porque você não sabe com quem está lidando. Medo não por mim, mas pela minha família, entendeu? Eu estou com minha esposa para ganhar nenê neste próximo mês. A minha preocupação é só essa, da minha família, entendeu, da integridade física de todos. Eu espero que acabe tudo bem, é a minha esperança, para a minha pessoa, para a minha família. Claro que eu tenho medos”, afirmou. Andrade disse ter feito seu trabalho corretamente. “Eu, como jornalista, não vejo erro. Porque em nenhum momento estou mentindo, estou acrescentando vírgula, estou acrescentando ponto. A meu ver, eu não fiz nada de errado. Se alguém fez alguma coisa de errado, não fui eu”.

Andrade contou que filmou um agente da Abin (Agência Brasileira de Inteligência) e policiais à paisana, da equipe do próprio Tarcísio, disparando tiros em Paraisópolis, numa ação que matou um jovem desarmado chamado Felipe Silva de Lima, de 28 anos.

Coragem

A jornalista Mônica Bergamo destacou pelo Twitter nesta quinta-feira (27) a coragem do cinegrafista da Jovem Pan Marcos Andrade, que, em entrevista à Folha de S. Paulo, entregou a farsa montada pela campanha de Tarcísio de Freitas (Republicanos), candidato a governador de São Paulo, em Paraisópolis.”A entrevista de Marcos Andrade revela fatos escandalosos. Mais que isso: revela um homem corajoso. Que enfrenta o medo e filma o tiroteio de Paraisópolis. Que enfrenta de novo o medo e revela a pressão por sumiço de provas da equipe de Tarcísio de Freitas”, escreveu a jornalista.

Nota do Sindicato e Fenaj

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo e a Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) repudiam a tentativa de intimidação cometida por membros da campanha do candidato a governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), a um jornalista da Jovem Pan.

Áudio revelado pelo jornal Folha de S.Paulo aponta que um membro da campanha de Tarcísio mandou um repórter cinematográfico da Jovem Pan apagar imagens de um agente de segurança disparando sua arma em Paraisópolis, na zona oeste de São Paulo, no último dia 17/10, o que interrompeu a agenda do candidato e terminou com um suspeito morto, pela polícia ou por seguranças de Tarcísio.

“Você filmou os policiais atirando?”, questiona um integrante da campanha em áudio obtido pela Folha de S. Paulo. “Não, trocando tiro efetivamente, não. Tenho tiro da PM pra cima dos caras”, responde o profissional da emissora.
O integrante da campanha pergunta também se ele havia filmado as pessoas que estavam no local onde o evento com Tarcísio de Freitas foi realizado. “Você tem que apagar”, diz o homem. Com o vídeo apagado, não se poderia afirmar ao certo quem foi o autor dos disparos.

Para o Sindicato e a FENAJ, a ação da equipe da campanha do candidato ao governo de São Paulo configura uma tentativa de intimidação ao profissional e de cerceamento da atividade jornalística, atingindo o direito à informação e a liberdade de imprensa.

É sempre bom lembrar que a Constituição do Brasil estabelece as liberdades de expressão e de imprensa, proibindo a censura prévia. Portanto, é uma atitude inaceitável e ilegal a ação dos membros da campanha do candidato.

O Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros pontua que a obstrução à livre divulgação da informação, a aplicação de censura e a indução à autocensura são delitos contra a sociedade (Art 1, inciso V).

Desta forma, o Sindicato e a FENAJ cobramos que Tarcísio de Freitas venha a público manifestar-se em favor do livre exercício do Jornalismo e informar a sociedade sobre as medidas tomadas no âmbito da sua campanha.

São Paulo, 25 de outubro de 2022

Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP)

Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj)

 

Compartilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email

Matérias Relacionadas

Rolar para cima