Construir Resistência

Bolsonaro vai deixar paradas 14 mil obras públicas federais

Com informações do site do PT

Número de obras paralisadas “é muito superior ao desejável”, dizem técnicos do TCU.

Após passar quatro anos tentando se apropriar de obras executadas pelos governos do PT, Jair Bolsonaro deixa o “legado” de 14 mil obras públicas paralisadas em todo o país. O dado consta da ‘Lista de Alto Risco da Administração Pública’, um dos documentos entregues ontem ao vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin, pelo presidente em exercício do Tribunal de Contas da União (TCU), Bruno Dantas.

Conforme o documento, entregue nesta quarta-feira (16) ao também coordenador do Gabinete de Transição Governamental, as obras públicas federais paradas no desgoverno Bolsonaro representam 37% de 38 mil contratos ativos. No total, eles somam R$ 725 bilhões em investimentos.

O custo dessas obras paradas é de R$144 bilhões, dos quais R$ 10 bilhões já foram pagos. Dotação maior do que toda a verba deste ano para os Ministérios da Educação (R$ 113,7 bilhões) e da Defesa (R$ 112,6 bilhões), por exemplo.

Estão paradas obras de construção de escolas, hospitais, pontes, praças, rodovias, ciclovias, quadras esportivas, mercados públicos, abrigos, casas populares, aterros sanitários, sistemas de saneamento e urbanização, terminais de passageiros e diversos outros empreendimentos.

O atual índice de paralisação das obras, relatam os auditores do TCU, “é muito superior ao desejável”. Além disso, destacam os técnicos, “o risco de paralisação permanece alto, em virtude de diversos fatores, em especial os relacionados à crise fiscal, às deficiências de gestão de informação e aos procedimentos de seleção e execução das obras.”

Entre as causas da paralisação, os auditores de controle externo do TCU apontam deficiências de projeto, insuficiência de recursos financeiros e baixa capacidade institucional de governos estaduais e prefeituras para conduzir os empreendimentos.

 

 

Compartilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email

Matérias Relacionadas

Rolar para cima