Construir Resistência
lula

Assim como nas Diretas Já, luta contra o fascismo promete lotar comício de Lula no Anhangabaú

Por Simão Zygband

 

Comício pelas Diretas Já

O primeiro grande ato da campanha de Lula para presidente da República ocorre neste sábado (20), a partir das 11 horas, no histórico Vale do Anhangabaú, em São Paulo. Será um comício aberto ao público, e a expectativa é a de reunir dezenas de milhares de pessoas. A luta contra o autoritarismo e o fascismo, representado pelo (des)governo de Jair Bolsonaro, promete novamente arrastar uma multidão para o mesmo local onde, há 38 anos, ocorreu um dos maiores (senão o maior) comício das Diretas Já para derrotar o regime militar.

Tal qual daquela vez, novamente o Brasil se une para enfrentar as forças conservadoras. Lula conseguiu reunir em torno de si a maior aliança política da história do pais. Junto com ele, a liderança do PT, estão o PSB, PSOL, PCdoB, Rede, PV, Solidariedade, Avante e Agir (antigo PTC), ou seja, 9 partidos que se opõem ao pior presidente que já governou o Brasil.

Não é a toa que a oposição a Bolsonaro atinge composição gigantesca, assim como promete ser o primeiro comício de campanha de Lula. Nele estarão, além do candidato a vice, Geraldo Alckmin (PSB), Fernando Haddad (PT), candidato ao governo de São Paulo e Márcio França (PSB), candidato ao Senado. É certa a presença de todos os candidatos a deputado federal e estadual que apoiam a grande Frente de Centro-Esquerda. Todo o evento terá transmissão da TvPT.

É impossível não recordar e traçar uma comparação com o histórico comício de encerramento da campanha das Diretas Já realizado no dia 16 de abril de 1984, no Vale do Anhangabaú.

Tal como agora, os brasileiros estavam engasgados com o regime militar (que tanto Bolsonaro idolatra). O ato reuniu um milhão e meio de pessoas, um movimento de massas sem precedentes, para pedir a volta das eleições diretas para presidente e o encerramento da ditadura.

Bolsonaro, admirador da ditadura, que idolatra o torturador Alberto Brilhante Ustra, que executa uma política de extermínio dos pobres, que é o responsável direto pela morte de 670 mil brasileiros pela Covid-19 e o governo que mais destruiu a Amazônia, entre tantos outros desmandos, certamente angaria a maior rejeição que um governante conseguiu ter depois do regime militar.

Justamente ele que loteou seu governo com militares, pagando polpudos salários e distribuiu recursos públicos aos borbotões aos seus aliados no Congresso Nacional. Evidentemente que tudo isso, bancado com recursos públicos, agigantando a miséria do povo pobre e comprometendo financeiramente a classe média, faz crescer o sentimento de oposição, como aconteceu nas Diretas Já.

Vá você também ao Vale do Anhangabaú levar o seu apoio à candidatura de Lula, Alckmin, Haddad e Márcio França para que possamos enxotar de vez Bolsonaro e seus aliados do poder.
Todos ao comício no sábado, 20 de agosto no Anhangabaú
 

AJUDE O CONSTRUIR RESISTÊNCIA CLICANDO E OLHANDO OS ANÚNCIOS DA PÁGINA.

NÃO CUSTA NADA E AJUDA NA MANUTENÇÃO DO SITE.

VAMOS DERROTAR O BOLSONARISMO E ESTE É UM DOS INSTRUMENTOS DE LUTA

Compartilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email

Matérias Relacionadas

Rolar para cima