Construir Resistência
Foto: Arquivo pessoal

A importância do voto

Por Herval B. Barreto

Pouco se discute na sociedade brasileira o valor e a importância do voto.

É sabido que quem tem o poder econômico controla o poder político, e também o judiciário. Ganha-se eleições com meias verdades e com muita grana.

Eu ainda penso que o maior poder é de quem tem o voto. Poder que funciona para o bem ou para o mal, como por exemplo o voto no Bolsonaro, uma escolha maldita.

Um problema a ser solucionado são os currais eleitorais, e defendo que o maior deles reside no segmento evangélico das igrejas neopentecostais. A bancada da bíblia, que cresce a cada eleição. Com esse ingresso das igrejas na política a qualidade dos políticos caiu muito e quem perde é a sociedade, que tem sido prejudicada em vários aspectos.

O eleitorado vota de forma muito diversificada, numa escolha mais emocional do que racional. Não são votos majoritários em programas, em partidos políticos. E essas redes sociais comandadas pela extrema direita bagunçaram a cabeça do eleitor despolitizado.

Mamadeira de “Piroca”, “Kit Gay”, e “otras cocitas más” tiveram tanto apelo popular que por pouco Bolsonaro não ganha no primeiro turno.  Acredito, que se mais eleitores do campo tivessem aparelhos celulares em 2018, provavelmente, Bolsonaro teria ganho no 1° turno.

O que preocupa também é o voto vendido. O eleitor vende o voto por qualquer bagatela e o que não falta é comprador. Aí, vira aquela “quizumba”. Quem dá mais leva. Imaginem nesse cenário de pobreza atual como pode ser em 2022?

Para completar, boa parte do eleitorado se abstém. Outros votam em branco, ou anulam o voto.

O que está faltando, no meu modesto ponto de vista, é as esquerdas de modo geral, e o #PT em particular, não estarem sabendo trabalhar para se aproximar e estimular esse eleitorado a votar. É necessário que se faça fortes campanhas, nas base, comunidade, no corpo a corpo, para conscientizar essa galera a votar.  Um voto coerente, sei que é querer demais, mas esse seria o caminho ideal.

O que me intriga até hoje é o que levou os cidadãos(ãs) às urnas em 2018? A acionarem tanto a tecla 17? Será que estavam mesmo acreditando que Bolsonaro seria capaz de fazer um bom governo para o povo ou será que foram levados pelo ódio e votaram por vingança?

Foi um ponto fora da curva a enormidade de votos que o #PSL recebeu. Os caras tinham apenas um deputado federal antes das eleições e esse número pulou para 52 deputados federais em 2018, quando tornaram-se a segunda maior bancada no #Congresso.

Não resta dúvida que as esquerdas precisam investir tudo que puder nas bases e tirar votos desses pastores neopentecostais. Os Malafaias, Maltas e Felicianos da vida estão emporcalhando e empobrecendo a política.

Mas, não acredito que sejam capazes de compram todos os eleitores… Em todos os tempos, paciência é a democracia!

Herval B Barreto é um cidadão brasileiro. Ativista da causa Brasil

Compartilhar:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email

Matérias Relacionadas

Rolar para cima