A face do Diabo

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

Por Luis Otávio Barreto

Existe um filme de gosto duvidoso, mas boa fotografia; “A Profecia”. E falo da regravação, com Liev Schreiber e Mia Farrow, de 2006. O filme fala do filho do demônio e blá, blá, blá e blá…importa é que em dado momento, surge uma tal Sra. Baylock – enviada por satanás – que cuidará para que Damien cresça domine o mundo e instale o reino de Satã e blá, blá, blá…
Depois dos trelelês e trololós, Sra. Baylock tenta proteger Damien com a própria vida. Louca e trabalhada no ódio infernal, ela prossegue na missão de garantir os intentos de Belzebu, até que…não vou contar. Fiz essa introdução imensa – igual a do hino nacional – para dizer que Carla Zambeli é como a Baylock!
Há tempos conservo a impressão de que Zambeli tem um quê demoníaco, é uma espécie de aura, de porte, sabe?! Um amigo querido uma vez me falou dessa gente com ‘cara de diabo’. À época ele havia me falado do Emílio Zurita – NOJO – e de umas outras pessoas. Pois é isto!
A Zambeli tem porte de diabo. Me lembra, talvez pela figura, uma personagem de “O Advogado do Diabo”, Petra, eu acho! Ou Allegra. Uma coisa assim… Também tem aquela vizinha que trepa com o Keannu Reeves e que mostra a cara de demônio.
Carla Zambeli me passa essa impressão! A todo instante penso que ela vai transmutar a face e revelar um espírito de trevas. Odiaria estar no mesmo lugar que uma pessoa como ela.
Luis Otavio Barreto é músico pianista e professor de língua portuguesa.

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *