Construir Resistência

5 de julho de 2024

Bolsonaro Joias 768x512

Quadrilha: PF indicia Bolsonaro e mais 11 por roubo e venda de joias da União

  Do Site do PT   Crimes atribuídos ao bando são associação criminosa, lavagem de dinheiro, peculato e advocacia administrativa Caso das joias é só um dos vários que envolvem crimes cometidos por Bolsonaro A Polícia Federal indiciou, na quinta-feira (4), o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) no inquérito que investiga o desvio e a venda ilegal de joias de alto valor presenteadas por delegações estrangeiras e pertencentes ao acervo da Presidência da República. Nas condutas do capitão da extrema-direita, a PF vê indícios de associação criminosa, lavagem de dinheiro e peculato (apropriação de bens públicos). Além de Bolsonaro, outras 11 pessoas também foram indiciadas: todas por organização criminosa, sete por peculato e uma por advocacia administrativa (quando um servidor público defende interesses particulares junto ao órgão em que atua). No relatório final da PF enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), entretanto, não foram pedidas as prisões preventivas ou temporárias de nenhum dos suspeitos. Veja quem são os aliados do ex-presidente envolvidos no escândalo das joias e os crimes de que são suspeitos: – Fabio Wajngarten, advogado de Bolsonaro e ex-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (associação criminosa e lavagem de dinheiro) – Tenente-coronel Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Bolsonaro (associação criminosa, lavagem de dinheiro e peculato) – General Mauro Cesar Lorena Cid, pai de Mauro Cid (associação criminosa e lavagem de dinheiro) – Frederick Wassef, ex-advogado da família Bolsonaro (associação criminosa e lavagem de dinheiro) – Bento Albuquerque, ex-ministro de Minas e Energia de Bolsonaro (associação criminosa e peculato) – Marcos André dos Santos Soeiro, ex-assessor de Bento Albuquerque (associação criminosa e peculato) – Julio Cesar Vieira Gomes, ex-secretário da Receita Federal (associação criminosa, lavagem de dinheiro, apropriação de bens públicos e advocacia administrativa) – Marcelo da Silva Vieira, ex-chefe do Gabinete de Documentação Histórica da Presidência da República (associação criminosa, lavagem de dinheiro e peculato) – José Roberto Bueno Júnior, ex-chefe de gabinete do ministro de Minas e Energia de Bolsonaro (associação criminosa, lavagem de dinheiro e peculato) – Osmar Crivelati, assessor de Bolsonaro (associação criminosa e lavagem de dinheiro) – Marcelo Costa Câmara, ex-assessor de Bolsonaro (lavagem de dinheiro) Depois de enviado ao ministro Alexandre de Moraes, relator do caso no STF, o documento da PF será remetido à Procuradoria-Geral da República (PGR), que vai analisar as evidências colhidas pelas autoridades policiais e decidir se arquiva o caso, se pede novas diligências ou se denuncia os envolvidos ao próprio Supremo. Leia mais: “De onde veio o dinheiro?”: Ação Popular questiona quitação antecipada de mansão por Flávio Bolsonaro A caminho do banco dos réus Por meio do “X”, a presidenta nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), deputada federal Gleisi Hoffmann (PR), disse que Bolsonaro está acuado e, por isso, “anda tão nervosinho nas redes sociais”, fabricando mentiras a esmo contra o governo Lula. Gleisi lembrou que o escândalo das joias sauditas constitui somente um dos crimes pelos quais o extremista de direita deve responder. “O indiciamento de Jair Bolsonaro pela PF no caso das joias é mais um passo na busca da verdade e da justiça. Essa é apenas uma das muitas contas que ele terá de prestar pelos crimes que cometeu contra o país e contra o mandato que recebeu (…) Não tente desviar as atenções, Bolsonaro, falando mentiras sobre um presidente e um governo que estão consertando o que você destruiu. Quem está a caminho do banco dos réus é você”, publicou a presidenta do PT.   Também no “X”, o deputado federal Lindbergh Farias (PT-RJ) sublinhou o prazo firmado pela PGR para se manifestar sobre o sumiço das joias. “Foi estabelecido que a decisão deve ser feita até 16 de agosto. O tempo de Bolsonaro está acabando”, estimou o parlamentar.   O deputado federal Rogério Correia (PT-MG), por sua vez, publicou um vídeo da GloboNews em que os comentaristas da emissora caem na gargalhada com o fato de Bolsonaro ter envolvido no escândalo um almirante da Marinha do Brasil, que “serviu de mula”, segundo o jornalista Otávio Guedes. Correia tachou o ex-presidente de “ladrão de joias”.   Histórico transgressor dos Bolsonaro Além do escândalo das joias de alto valor, Bolsonaro ostenta uma série de processos pelos quais responde. Não é apenas o ex-presidente, contudo, o único membro da família enrolado na Justiça. Todos os quatro filhos do capitão da extrema-direita, além ex-primeira-dama, Michelle Bolsonaro, são suspeitos de transgressões. Em 2020, o senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) foi acusado pelo Ministério Público (MP) de praticar as famosas “rachadinhas”, quando ainda era vereador na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). De acordo com o MP, o filho “01” do ex-presidente surrupiou R$ 6 milhões de seu gabinete. A mais recente polêmica de Flávio é a mansão adquirida por ele, em 2021, por R$ 6,1 milhões. O senador pagou, há dois dias, os R$ 3,4 milhões que faltavam para quitar o imóvel. A compra abaixo do valor de mercado de dois imóveis no Rio de Janeiro, pagos em espécie pelo deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP), é alvo de uma investigação na PGR. Em 2022, reportagem do UOL revelou que Eduardo, seus irmãos e filhos adquiriram 51 imóveis por meio de pagamentos com dinheiro vivo. Dos R$ 13 milhões registrados em cartório, R$ 5,7 milhões foram pagos em cédulas, cerca de R$ 11 milhões em cifras atualizadas. Tal qual Flávio, Carlos Bolsonaro (PL) também é investigado pela prática das “rachadinhas” na Alerj, entre 2009 e 2018. Laudo elaborado pelo Laboratório de Tecnologia de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro, do MP do Rio, aponta que Carlos embolsou R$ 2 milhões dos salários de seus funcionários. O filho mais novo de Bolsonaro, Jair Renan, também se mostra afeito a desvios e transgressões. A PF cumpriu mandados de busca e apreensão em residências dele, suspeitando de que tenha cometido crimes de falsidade ideológica e contra a ordem tributária, além de associação criminosa, estelionato e lavagem de dinheiro. Renan é investigado ainda por tráfico de influência. Já Michelle Bolsonaro, esposa do ex-presidente, consta nas movimentações financeiras de

Quadrilha: PF indicia Bolsonaro e mais 11 por roubo e venda de joias da União Read More »

20230303200332 D3d54e0eace9737ebc1a45ccf56b628b02347d8dbba456a3dee17050e7fb90df

Ruy Castro, 76 anos, virou um tio-avô do zap atacando Lula

Por Moisés Mendes  “O cronista da Folha adota o etarismo raso da extrema direita para tentar interditar Lula” Ruy Castro tem 76 anos e se mantém há décadas como cronista da Folha por preservar a plenitude da sua capacidade de fazer jogo duplo e refletir sobre platitudes. Ruy Castro é o caso clássico do sujeito que vive do que já foi, mas é assim também que se vive. Seu talento de cronista vai se sustentando na poupança do seu passado. Mas ninguém irá questionar a capacidade de Ruy Castro de chegar à velhice atacando Dilma, como fez ao lado dos golpistas, de ser anti-Lula (o que é um direito dele) e de ser agora militante de um etarismo raso. Ao comparar Lula a Biden, insinuando que Lula é um idoso sem condições de se reeleger, ele não sugere que esqueceu a própria idade. O que não esconde é que se alinhou aos ‘jovens’ de extrema direita que vão bater em Lula para que os brasileiros o vejam como se fosse um Biden. Castro deve se achar forever young. Numa abordagem cordial, poderia ser dito que o cronista foi cruel com o maior líder político brasileiro desde Getúlio, que era chamado de ‘o velho’, mas carinhosamente. Por que enfatizar no artigo que Lula já teve câncer? Ruy Castro virou mais um tio-avô do zap, desses que cantam o hino para pneus e inspiram muito do que ele escreve. Seu texto o habilita a ser o líder do ataque à idade de Lula, para que, com sua reputação, puxe outros apitos e acorde as hienas bolsonaristas. Faz o jogo do fascismo, não para atacar um idoso, mas para tentar interditar Lula. O que Castro acaba revelando é que Lula é temido exatamente pela lucidez de quem chegou aos 78 anos. A velha direita engolida pela extrema direita fica desconfortável ao ver que Lula não envelhece, nem mental nem fisicamente. Eles achavam que Lula sairia da cadeia para fazer jardinagem com Janja. A crônica de Ruy Castro é uma contribuição aos esforços para ressuscitar o bolsonarismo mais repulsivo. O jornalista reforça na velhice as ideias e as ações da mesma turma do golpe, das milícias civis e militares, da grilagem, do garimpo, das rachadinhas e do PL do estupro, para atacar um homem que continua ativo e lúcido governando o país. Ruy Castro não precisava reconhecer que Lula passa a ser exemplo de vitalidade para outros idosos. Nem admitir que gente com a idade de Lula produziu obras monumentais, em qualquer área. Mas não precisava depreciar o tempo de vida de Lula com argumentos do bolsonarismo e do trumpismo, quando se sabe que o problema de Biden não é a idade, mas a comprovada confusão mental. A aparente confusão de Castro é outra. Ele teme que Lula seja inspirador de velhices em todas as frentes, na vida anônima dos comuns, nas artes, nas escolas, na política, no jornalismo. Castro teme os idosos que continuam ativos e dignos e não se dobram aos fascistas de todas as idades. Assuma seus 76 anos e pare de babar para a extrema direita, Ruy Castro. Moisés Mendes é jornalista em Porto Alegre. Foi colunista e editor especial de Zero Hora. Escreve também para os jornais Extra Classe, Jornalistas pela Democracia e Brasil 247. É autor do livro de crônicas ‘Todos querem ser Mujica’ (Editora Diadorim) Nota do editor – leia artigo que ocasionou a polêmica no link abaixo https://www.removepaywall.com/https:/www1.folha.uol.com.br/colunas/ruycastro/2024/07/biden-hoje-lula-amanha.shtml

Ruy Castro, 76 anos, virou um tio-avô do zap atacando Lula Read More »

1093178 Rvrsa Abr20171004 0135 1

Lula entrega 280 novas ambulâncias para a frota do Samu

Por Andreia Verdélio – Repórter da Agência Brasil Veículos vão fortalecer o atendimento em 248 municípios de 24 estados   O presidente Luiz Inácio Lula da Silva entregou, nesta quinta-feira (4), 280 novas ambulâncias para a frota do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência 192 (Samu), o serviço gratuito para assistência de urgência e emergência em saúde. Os veículos vão fortalecer o atendimento em 248 municípios de 24 estados. Lula destacou que a entrega faz parte da renovação de frota, que deve contar ainda com mais 1.780 ambulâncias. “Como você pode imaginar ficar 10 anos sem renovar a frota do Samu? Porque uma ambulância tem que estar bem de manutenção, ela tem que estar boa. A hora que ligar o motor, ela tem que pegar”, disse, em evento na cidade de Salto, interior de São Paulo, na unidade responsável pela fabricação dos veículos especiais. “Como é que pode você chegar numa cidade e ter uma ambulância escancarada? Então, nós resolvemos, depois de um longo e tenebroso inverno, nós resolvemos renovar outra vez a frota do Samu”, acrescentou Lula. Todas as ambulâncias com mais de 6 anos de uso serão trocadas, com recursos do Novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que na entrega desta quinta-feira soma R$ 89 milhões. A meta do governo federal é de que, em 2025, só estejam em operação veículos com até 5 anos de uso. O presidente falou sobre seu orgulho em ter criado o Samu, em seu primeiro mandato, em 2003, e agradeceu o trabalho dos bons profissionais que atuam no serviço. “Antigamente, os prefeitos de todo o território nacional viviam um desespero muito grande porque não tinha ambulância para levar as pessoas às outras cidades que tinham hospital, porque muitas vezes tinham que pagar táxi. Isso acabou porque nós tomamos a decisão de que o Estado brasileiro tem que assumir a responsabilidade de cuidar do seu povo. E é por isso que nós criamos o Samu, para dar conforto, para dar ideia de responsabilidade, de compromisso. Ninguém pode morrer por falta de assistência”, disse. Lula ainda cobrou que as prefeituras cuidem dos veículos sob sua responsabilidade. “Não pode deixar a ambulância ter problema, não pode deixar a ambulância ficar sem manutenção, porque a ambulância do Samu foi criada para salvar vidas humanas que podem ser salvas e a gente tem orgulho da qualidade das nossas ambulância do Samu”, disse. O Samu é um dos componentes da Política Nacional de Atenção às Urgências do Ministério da Saúde. O serviço pode ser acessado pelo número de telefone 192, que oferece orientações à população e envia veículos tripulados por equipes especializadas. Ainda nesta quinta-feira, em Campinas (SP), o presidente lança a pedra fundamental do Orion, complexo laboratorial para pesquisas avançadas em patógenos, do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), e participa de entrega do BRT Campinas, do viaduto Bandeirantes e de anúncios da requalificação do sistema de macrodrenagem do município.

Lula entrega 280 novas ambulâncias para a frota do Samu Read More »

Rolar para cima