Construir Resistência

5 de julho de 2021

A nau bolsonarista afunda

Por Simão Zygband Ilustração de Sérgio Papi  É bem provável que os parlamentares que hoje se locupletam do derrame de recursos de emendas e de outras fontes não contabilizáveis, logo desembarquem da aventura bolsonarista O país novamente amanheceu com mais uma denúncia contra o suposto presidente Jair Bolsonaro. Desta vez foi o seu envolvimento direto com as chamadas “rachadinhas”, o repasse de salários dos funcionários de seu gabinete e de seus filhos, que devolviam até 90% dos valores recebidos para um operador de sua família. Nas gravações obtidas pelo portal UOL, com declarações da ex-cunhada de Bolsonaro, Andrea Siqueira Valle, Jair mandou demitir o irmão dela, André Siqueira Valle por que ele se recusou a entregar grande parte do salário de assessor do então deputado federal. Ambos são irmãos de Ana Cristina Siqueira Valle, segunda mulher do presidente. O cerco se fecha em torno de Bolsonaro, cujo governo faz água por todos os lados. Não faltam denúncias de “rachadinhas”, vínculo com as milícias, superfaturamento na compra de vacinas indianas (Covaxin), negligência no combate Covid-19, privilegiamento de militares e seus filhos em cargos governamentais, enfim, uma infinidade de irregularidades que já teriam sido suficientes para deposição de um governo em países com menor complexidade que o Brasil. Mas o brasileiro é resistente e extremamente tolerante com políticos de direita como Bolsonaro. O medo de que a esquerda volte a governar o país com Lula, que no imaginário popular construído pela grande mídia foi demonizado, faz com que o ritmo das mudanças ocorram de maneira paquidérmica. Nenhum governo no mundo teria suportado a enxurrada de denúncias e evidências que pairam sobre o governo do capitão reformado. Mas aqui não é o que acontece. O suposto presidente da República conhece muito bem os corredores do Congresso, onde teve uma passagem pífia por longos 33 anos. De alguma forma controla os deputados com métodos nada republicanos. Também coopta da mesma maneira pouco ortodoxa um oficialato das Forças Armadas, onde o desmando com recursos públicos se tornaram conhecidos com a compra de toneladas de pichanha, bacalhau, whisky importado, vinhos e com aquisição milionária de leite condensado etc. É também inegável que nenhum governo teria suportado as pressões de quando foram apreendidos 39 quilos de cocaína na Espanha, em um dos aviões da comitiva presidencial, durante uma escala que Bolsonaro realizou quando se dirigia à China. Este episódio ganhou grande repercussão e se transformou em um grande vexame internacional. Mas o que falta, afinal, para que Bolsonaro sofra impeachment, já que para completar o seu merecido calvário, quase um milhão de pessoas foram às ruas para exigir a sua saída em todas as capitais e grandes cidades brasileiras, mesmo em plena pandemia, que ainda ceifa milhares de vidas diariamente? É bem provável que os parlamentares que hoje se locupletam do derrame de recursos de emendas e de outras fontes não contabilizáveis, logo desembarquem da nau bolsonarista, pois se não o fizerem estarão colocando em risco os seus próprios mandatos nas eleições de 2022. Muitos já não querem ter seus nomes vinculados a Bolsonaro por que, em plena queda vertiginosa nas pesquisas de popularidade e de intenções de votos, não mais será um puxador de votos e sim uma âncora que levará consigo seus seguidores para o fundo do poço. Também vários empresários que embarcaram na aventura bolsonarista, por acreditarem que o Brasil melhoraria com o fim dos direitos trabalhistas e com a reforma da Previdência, perceberam que o país retrocedeu tendo à frente um governo neo-fascista, genocida, ligado em militares atrasados e nas temidas milícias. Aparentemente os dias de Bolsonaro estão contados. Mas ele conseguirá prolongar sua permanência no poder? Só o tempo dirá  

A nau bolsonarista afunda Read More »

Nossos pré-genocidas

Por Virgílio Almansur O “governador gay ou gay governador”, nas enroladas palavras dele mesmo, não terá isenção! Nenhuma parada o absolvirá. Essa turminha do PSDB foi venal. Contribuíram para o 17/04/16 e à chegada de um miliciano de cepa assassina. FHC não pode, nem poderá ser poupado. Aécio deve ser deixado em brancas nuvens e caminhar às bolas de neve. Jereissati et caterva que receba Hasselmann; Dória, seus pancakes e vacinas, leve a frota que quiser. Há lugar para Kims, Hollidays e todos das pontes futuristas desastrosas. Essa gentinha da imprensa, que começou a se “incomodar” com o amigo de queiróz-10-crimes, adriano, lessa e élcios (o cel. também…), pode começar a tirar o cavalinho da chuva. Torpes e banais como Moura Brasil, Camarotti, Merdais, Porcão e seus porquinhos amestrados, serão observados. Não dourarão suas pílulas. A não ser para incautos. Sabemos que a qualquer momento voltarão e cumprirão as metas de seus donos e se portarão como Zé Alfaiate. Indigentes como J. R. Guzzo, Vera Magalhães e asseclas, nem o lixo da história os admitirá. Serão rochamontes despersonalizadas. Atenderão ao canto das sereias vagabundas do judiciário e afins. Espremer o Estadão traz moropatas de plantão, dalagnois infuxwetrust, pimpões barrosos e ofachinénosso das perdidas ilusões. Essa turminha, limpinha e cheirosa do PSDB, não pode ser esquecida. Luta pelo poder inescrupulosa tem seu preço. Gera lobões, gera fagneres indecentes, gera as idiotias rockeiras da paulicéia desvairada com pintadas rogerianas e danilos estúpidos. Não nos esqueçamos! Há sempre um huckzinho e suas latarias fagueiras a contemplar nosso mundo cão. Estar diante do “menos pior” que 18 nos trouxe numa bandeja cínica de manchete pré-eleitoral, é o recado dessa imprensa marota e mal intencionada que devemos saber lidar. Há aquela que se presume séria. Apoiemos! 03/07/21, mais um marco! Entre as repercussões — tiras, comentários escamoteados, inserções mínimas de poucos segundos e um sem caso para manifestações que deveriam ser esquadrinhadas pelos “nossos comentaristas”… São trallis da vida, que o pai abençoado quis, porque quis, detonar um cadáver na Campinas dos Jardins, e guardar como trunfo os últimos cartuchos das balas naquele guerreiro baiano irrequieto que a tudo enfrentou. Convertidos de araque são piores que aqueles que se mostraram direitaços ruidosos e continuram como genocidas assessores. Ao escolherem as pans vias do horror, têm identidades e alguma retidão, mesmo que vinculada ao abutre. Saibamos impedir difusões sinuosas, aquelas mesmas que se revelam ensaboadas, cheias de rapapés e salamaleques, que perpassaram décadas cotejando um liberalismo-almanaque de 5a. categoria, tão somente para se mostrar numa bordeline postura de lusco-fuscos cinzentos sob luar e garoa impenetráveis… Mofarão!   Virgilio Almansur é médico, advogado e escritor.

Nossos pré-genocidas Read More »

Até quando?

Construir Resistência recomenda uma leitura atenta Reportagem portal #AlmaPretaJornalismo Texto: Caroline Nunes Edição Nadine Nascimento Para repercutir as informações, a Alma Preta Jornalismo entrou em contato com a patroa. Em um primeiro momento, ela disse não ter nada a declarar sobre a mensagem, apenas afirmou que não foi ela quem enviou e que se tratava de algo forjado pelas irmãs. Depois, ameaçou processar a agência de notícias e a repórter caso o nome dela, fotos ou imagem de seu filho fossem divulgados. Para ler, selecione o endereço eletrônico e aperte o botão do lado direito do cursor:   https://almapreta.com/sessao/cotidiano/domestica-relata-ser-humilhada-por-patroa-voce-sempre-sera-empregada?fbclid=IwAR1ZqCkxpfsOaSPnQmlNrotmmdqO_OeVQUluduwigW3xinYVLal4b6iUMqY  

Até quando? Read More »

Rolar para cima